Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Proximidade da Expointer coloca em atenção bem estar dos animais

Com a Expointer chegando é hora de se pensar no transporte dos animais até o Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), visando o bem estar das estrelas da feira. Existem requisitos muito importantes que devem ser levados em conta, como horário e as condições do transporte. A qualidade do tratamento durante a permanência dos animais no Parque também deve ser priorizada pelos proprietários.
O Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS) alerta que, apesar de a data de entrada dos animais no Parque de Esteio ser definida previamente, o transporte deve ser feito o mais próximo possível do evento. A ideia é que os exemplares não fiquem muito tempo expostos a um local que difere do ambiente em que moram. Segundo a presidente do Simvet/RS, Angelica Zollin, faz muita diferença para os animais o fato de receberem uma alimentação com a qual não estão habituados, além de ficarem expostos a som e luz intensos.
A dirigente ressalta que os animais são valiosos e devem ser transportados de uma maneira correta. “Por exemplo, os animais não podem iniciar uma viagem às dez horas da manhã de locais distantes de Porto Alegre, enfrentando o calor intenso. O melhor é viajar em períodos de menos calor e sol à pico, de preferência na madrugada ou ao entardecer, e logo devem ser acomodados”, aconselha. Para os equinos, Angelica explica que o transporte deve ser feito em caminhões especiais.
Na parte da acomodação no Parque, Angelica defende que os animais deveriam ficar com algum tipo de distânciamento dos visitantes da Expointer. Cita como exemplo a Exposição de Palermo em Buenos Aires, Argentina, onde é colocada uma corda para evitar que as pessoas se aproximem do local de permanência dos exemplares expostos sem a possibilidade de toque. “O contato de adultos e crianças com os animais acaba provocando estresse”, garante.
A presidente do Simvet/RS também enfatiza que o barulho provocado por festas que se estendem às vezes até altas horas da noite prejudicam o bem estar dos animais que estão acostumados a ambientes mais tranquilos quando o dia começa a escurecer. “Temos que levar em consideração o estresse provocado pelo meio ambiente, pelas pessoas, como principalmente os ruídos gerados por festas, eventos, o que se torna um grave problema”, alerta.
Outro alerta do Simvet/RS é com referência a água fornecida no Parque que não deve ser diferente da utilizada no campo, que não é tratada. A água oferecida aos animais não deve conter cloro porque pode provocar diarreia.
O setor dos ovinos também precisa de uma atenção especial, pois os mesmos ficam mais próximos das pessoas, inclusive das crianças que gostam muito de passar a mão. “Com isso, eles se tornam mais suscetíveis ao estresse e também a contrair doenças”, enfatiza Angelica.


Texto: Rejane Costa/AgroEffective

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Projeto resgata importância da cultura africana no RS

O Alabê Ôni  - grupo de músicos pesquisadores de percussão e manifestações de raiz africana do Rio Grande do Sul - lançou oficialmente on...