Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Mulher flagrada com R$ 4,6 mil em dinheiro ao sair do Presídio Central

Uma mulher que entrou nesta manhã  no Presídio Central de Porto Alegre, afirmando que iria à parte administrativa da cadeia, conseguiu driblar a segurança, desviar de rota e passar por uma das galerias de presos. Na saída, foi flagrada com R$ 4,6 mil em dinheiro.
Possivelmente foi o dinheiro que um preso deu para ela — afirma o diretor do presídio, o tenente-coronel Osvaldo Luís Machado da Silva.
Segundo Silva, a mulher falou que iria ao terceiro piso do Central, onde está localizada a assistência social. Mas o destino foi, na verdade, a galeria B, na qual ela conseguiu entrar com uma carteirinha falsa.
A carteira que ela tinha a autorizava a ir à galeria F, mas ela foi até a galeria B. Na saída, por desconfiança de um policial nosso, ela foi submetida a revistas — disse o tenente-coronel Silva, afirmando que o caso será investigado internamente no presídio.
Na revista, os agentes encontraram R$ 4,6 mil. A mulher não soube explicar a origem do dinheiro. A ocorrência foi classificada como "apreensão de objeto" na 2ª Delegacia da Polícia Civil, que instaurará um inquérito para averiguar a origem do dinheiro.
Não tínhamos elementos fáticos que comprovassem nem tráfico de drogas nem lavagem de dinheiro. Apreendemos o dinheiro porque ela não sabia explicar a origem — comenta a delegada Andrea Nicotti, que atendeu o caso.
A avaliação de Andrea é de que houve uma falha interna no presídio:
Ela entrou informando que iria para uma ala de assistência social. Lá dentro, ela alterou a trajetória sem que ninguém percebesse.
O juiz Sidinei José Brzuska, que estava no presídio no momento do fato, aponta que pode haver relação entre o montante encontrado com a mulher e o tráfico de drogas dentro do Central:
Não sou o responsável pela investigação, mas queria dizer que em quatro anos já foram apreendidos 66 quilos de drogas no Central. Uma pessoa entra onde não devia entrar, burlando a segurança do presídio, e sai lá de dentro com R$ 4,6 mil... Há pouco tempo, houve uma apreensão na galeria onde ela estava.
Fonte:D.G

Nenhum comentário:

Postar um comentário

500 cavalarianos desfilam em Canoas

As ruas bairros Mato Grande, Centro e  Fátima estiveram cheias na manhã de ontem  para saudar o Desfile Farroupilha. Cerca de 500 cavalar...