Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

X Marcha estadual pela Vida e Liberdade Religiosa do RS

Acontece neste momento em Porto Alegre a concentração para a X Marcha pela vida e liberdade religiosa do RS.
A Marcha, celebra o dia Nacional contra a Intolerância religiosa, cuja data é 21 de Janeiro.
Esta data foi instituída em 2007 pela Lei 11.635, de 27 de dezembro de 2007, em homenagem a Gildásia dos Santos e Santos, a Mãe Gilda, de Salvador. Ela, religiosa do candomblé sofreu um enfarte após ver sua foto num jornal evangélico, com a manchete “Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”. A Igreja foi condenada a indenizar os herdeiros da yalorixa.
As religiões de matrizes africanas são as mais vulneráveis ao preconceito, que é aplicado por uma pequena parcela da população que não respeita outras religiões. Nas manidestações, em sua grande parte, os pedidos são para que os ataques a religiões de matriz africana e afro brasileira baixem deste nível insuportável.
Além de conviverem com a intolerância, os terreiros são alvos da perda de território e da ação de grupos criminosos, que limitam o espaço das práticas religiosas e a circulação de seus adeptos e frequentadores.
A luta dos negros pela igualdade e pelo florescimento de sua religiosidade é feita de memória, de conhecimento e, principalmente, de tradição, por isto deve ser reconhecida como resistência cultural, política, social e religiosa.
Tão grave é o grande número de casos que sofrem todos aqueles que querem, por direito, independente de professar, simplesmente pertencer à sua fé. Outros grupos tradicionais, com o objetivo de preservar sua cultura religiosa ancestral e garantir a liberdade religiosa também são atacados.
São agressões físicas, ameaças de invasão e depredação de templos e comunidades. Não se trata apenas de uma ¬disputa religiosa, mas também de uma disputa por valores culturais e civilizatórios.
Existem casos de intolerância religiosa que ficaram famosos: o pastor da Igreja Universal do Reino de Deus Sérgio Von Helder, que, em 1995, chutou uma imagem de Nossa Senhora Aparecida em rede nacional de TV. Há também casos de testemunhas de Jeová que são processadas por não aceitarem que parentes recebam doações de sangue, de adventistas do Sétimo Dia a quem não são dadas alternativas quando não trabalham ou não fazem prova escolar no sábado. Também de medidas judiciais que impedem sacrifício de animais em ritos religiosos, entre outros.         
A intolerância religiosa é um conjunto de ideologias e atitudes ofensivas a crenças e práticas religiosas ou a quem não segue uma religião. Em situações extremas, a intolerância religiosa pode incluir violência física e se tornar uma perseguição. É um crime de ódio que fere a liberdade e a dignidade humana.
Os lamentáveis episódios recorrentes de intolerância, com os quais recentemente nos deparamos, representam um precedente perigoso para um país onde a diversidade é marcante, como o Brasil, onde, felizmente, as pessoas pensam e creem de formas diferentes.
O Conselho Municipal do Povo de Terreiro de Canoas,participa da Marcha.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

X Marcha Estadual pela Vida e Liberdade Religiosa do RS

A roupa usada pela atriz Adriana Rodrigues na X Marcha Estadual pela  Vida e Liberdade Religiosa do RS tem vários significados. A cor v...