Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

10ª Bienal do Mercosul de Porto Alegre

A amostra de Porto Alegre, será composta aproximadamente 700 obras produzidos por cerca de 400 artistas de 21 países de América Latina.
A 10ª Bienal do Mercosul Mensagens de Uma Nova América ocorre de 08 de outubro a 22 de novembro de 2015 e traz a Porto Alegre cerca de 700 obras de 402 artistas de 21 países. A equipe curatorial é formada pelo Curador-chefe Gaudêncio Fidelis (Brasil), o Curador-adjunto Márcio Tavares (Brasil), pelos Curadores-assistentes Ana Zavadil (Brasil), Fernando Davis (Argentina), Raphael Fonseca (Brasil), Ramón Castillo Inostroza (Chile) e pelo Dialogante - Curador do Programa Educativo Cristián G. Gallegos (Chile). A exposição, cuja proposta é retomar uma das vocações históricas da Bienal do Mercosul, exibindo exclusivamente a produção artística dos países da América Latina, irá ocupar oito espaços da Capital: Casa de Cultura Mario Quintana, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Instituto Ling, Memorial do Rio Grande do Sul, Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli – MARGS, Museu Júlio de Castilhos, Santander Cultural e Usina do Gasômetro.

Em sua 10ª edição a Bienal do Mercosul propõe refletir sobre o papel que vem desenvolvendo e a sua contribuição tanto local, quanto internacional. “Mais de vinte anos depois, a Bienal do Mercosul está sendo profundamente reavaliada em sua

perspectiva política, reconsiderando o papel que desempenha no contexto das dezenas de Bienais que existem atualmente ao redor do mundo”, afirma o Presidente da Fundação Bienal do Mercosul José Antônio Fernandes Martins.

Segundo o Curador-chefe, a 10ª Bienal do Mercosul está fundamentada na redescoberta de uma “outra América Latina”, até então não revelada aos olhos da comunidade nacional e internacional da mostra. “De fato é necessária uma nova estratégia capaz de dar conta das mudanças ocorridas nos últimos anos no contexto das mostras de arte de larga-escala e é importante evitar mergulhar em uma tendência internacional de exposições que se tornaram por demais excêntricas e que mais serviriam para serem realizadas como plataformas experimentais em centros de arte contemporânea destinadas a um público reduzido e para especialistas”, afirma. A 10ª Bienal do Mercosul se propõe a realizar uma mostra de forte caráter museológico e que foi constituída graças a generosidade uma grande rede de emprestadores de coleções públicas, privadas e particulares dos mais diversos países para que pudesse ser efetivada, ao contrário de que vem ocorrendo a algum tempo, com bienais focadas no comissionamento de novas obras. Ainda segundo Fidelis, esta edição da Bienal do Mercosul será construída considerando o substrato histórico da arte e sinalizando para uma dimensão de excelência e significado cultural e artístico da produção histórica e contemporânea. Para isso, apresentará também um vasto número de obras canônicas e não canônicas, perfazendo um amplo arco histórico do início do século XVIII até a produção atual, incluindo algumas peças arqueológicas.

Mensagens de Uma Nova América busca promover a visibilidade, a legibilidade e a recepção da produção artística dos países da América Latina e está sendo construída em torno da produção mais relevante da região. A exposição pretende dar conta ainda de um considerável número de “pontos cegos” deixados pela crítica e pela historiografia, trazendo à superfície obras cuja contribuição artística ainda não recebeu a merecida consideração. Novas estratégias curatoriais para realizar as diversas exposições que compõe o projeto da 10ª Bienal do Mercosul também serão colocadas em prática. A principal delas é o mecanismo de justaposição onde a cronologia é frequentemente abolida em favor de outras relações conceituais entre as obras, permitindo, deste modo, aproximações que outros métodos mais tradicionais dificilmente conseguem obter. “Com essa plataforma curatorial, queremos possibilitar novos modos de ver aquilo que nos parece familiar e também dar visibilidade e inscrever na história uma produção artística que não recebeu ainda a devida consideração crítica e historiográfica”, explica o Curador-chefe. De acordo com Gaudêncio Fidelis e toda a equipe curatorial responsável pela pesquisa e escolha de obras para a 10ª Bienal, inúmeras inovações artísticas que foram produzidas pelos artistas dos países da América Latina ainda estão para ser reveladas e descobertas pela comunidade internacional e é esta uma das lacunas, entre outras tantas, que esta edição da exposição irá contribuir significativamente para preencher.

Quatro grandes campos conceituais compõem a 10ª Bienal do Mercosul: A Jornada da Adversidade, A Insurgência dos Sentidos, O Desapagamento dos Trópicos e A Jornada Continua. Cada um deles será composto por uma ou mais mostras, além de atividades voltadas para a formação profissional no campo curatorial e o desenvolvimento de um Programa Educativo relacionado.

Por:Leci da Silva MTb 11.972

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prefeitura esclarece sobre problemas na coleta de lixo

A Prefeitura Municipal de Canoas, através da Secretaria de Serviços Urbanos, informa que já está sendo solucionado o problema ocasionado ...