Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Ampliação da cadeia produtiva com projeto SIM

Uma reivindicação histórica foi aprovada pelos vereadores a partir de projeto do executivo municipal, e deverá em breve ser sancionada pela prefeita Margarete Simon Ferretti. O Projeto de Lei 016/2015 dispõe sobre a Inspeção e Fiscalização dos Produtos de Origem Animal no município e cria o Serviço de Inspeção Municipal – SIM. “Isso possibilitará que o município tenha autonomia para fiscalizar e certificar a produção de origem animal, como por exemplo, mel, ovos, queijo e embutidos”, diz o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Ildo Maciel.
Na prática, a legislação irá beneficiar centenas de famílias da cidade que terão seus produtos certificados para a comercialização. “Claro que para ter a certificação tem uma serie de etapas, desde a origem, até a higienização até a comercialização, com a inspeção veterinária inclusive”, aponta o secretário. Com a certificação, a venda dos produtos feitos pelas famílias locais recebe a garantia de estar de acordo com as normas nacionais para o consumo.
Além dos produtos de origem animal, outro importante patamar é alcançado com a implantação do SIM. A partir de cumpridas as regras, os prosutores locais poderão entrar na cadeia Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial, Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte – SUSAF. “Com isso, além dos produtos de origem animal, também poderão então receber certificação sobre a produção agrovegetal, como por exemplo, ter liberada a venda de aipim descascado e embalado”, explica Maciel.
As novas certificações irão garantir que a produção possa ser expandida a partir da comercialização. “É uma reivindicação antiga, que ganhou força a partir do fomento obtido com a EXPOFEIRA. Tivemos muito apoio da secretaria Municipal de indústria, Comércio e Desenvolvimento, quando, a partir do secretário Rodrigo Bastistella, recebemos o apoio para consolidarmos o projeto de lei”, avalia Ildo Maciel.

 Fonte:Jesiel B. Saldanha
Assessoria de Imprensa /Prefeitura de Nova Santa Rita 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Imigrantes venezuelanos chegam hoje a Canoas

Nesta tarde, casais venezuelanos com filhos desembarcarão no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, e seguem até Canoas. As famílias fi...