Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Consumidor deve redobrar atenção à origem dos alimentos no verão


Durante as temporadas de verão o consumidor que vai curtir suas férias precisa ter alguns cuidados com os alimentos que são comercializados em estabelecimentos como supermercados, bares, restaurantes e até na beira da praia. Com isso, o Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS) está alertando os veranistas com algumas recomendações que devem ser observadas no momento da aquisição de produtos de origem animal.
Segundo a representante do Simvet/RS, Andrea Troller Pinto, o ideal é que se consuma alimentos frescos adquiridos de fonte conhecida, com procedência. Lembra também que na aquisição de produtos de origem animal é importante verificar se estes estão adequadamente conservados, ou seja, os que necessitam de refrigeração se estão sob refrigeração e os congelados só devem ser adquiridos se realmente estiverem congelados. "O consumidor deve buscar sinais de descongelamento como produtos amolecidos ou produtos que têm acúmulo de água congelada, pois significam que este alimento sofreu um processo de descongelamento. O consumidor também deve prestar bastante atenção ao prazo de validade e escolher produtos de origem animal de fontes legalizadas, com carimbo de origem de inspeção, seja federal, estadual e municipal. Com estas dicas nos protegemos melhor de doenças transmitidas por alimentos", ressalta.
A médica veterinária reforça que outro cuidado importante é no consumo de alimentos fora das residências. Andrea recomenda que o consumidor preste bastante atenção na higiene do local como no salão de refeições, que já pode dar um indicativo de como deve ser a área de preparação de alimentos. "Também deve-se prestar atenção na higiene dos manipuladores dos alimentos, se estão de uniforme, com cabelos protegidos com toucas, com mãos limpas e unhas curtas. Além disso, prestar atenção em como os alimentos são conservados nos balcões em bares e lancherias, se os quentes estão realmente aquecidos e os frios em temperaturas de refrigeração", salienta.
A representante do Simvet/RS observa também que no litoral é muito comum consumo de alimentos em quiosques e com ambulantes. Andréa avalia que estes fornecedores devem atender requisitos importantes. Sobre os quiosques, uma das coisas importantes é a necessidade de haver água corrente e potável para a higienização das mãos e de alimentos e se tem estes utensílios para o manuseio dos produtos. "Com relação aos ambulantes devemos prestar atenção na forma como este ambulante manuseia os alimentos e o dinheiro que ele recebe no momento em que faz a venda. Este ambulante não deve pegar o alimento com as mãos, precisa ter uma proteção. E a mão que pega o dinheiro não pode manipular os alimentos diretamente", explica.
O Simvet/RS aconselha a população que, havendo dúvidas em relação à qualidade do alimento ou em relação à qualidade e higiene de um alimento, que o veranista não consuma neste local. "Um dos fatores muito importantes de desproteção da população é que as vezes o consumidor acha que o ambiente não é adequado, mas mesmo assim adquirem ou consomem alimentos nestes locais. É um cuidado que vai ajudar os órgãos de inspeção e fiscalização de vigilância sanitária", complementa Andrea.

Fonte: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective
Assessoria de Comunicação do Sindicato dos Médicos Veterinários no Estado do Rio Grande do Sul (Simvet/RS)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bloqueio na BR-116 em Canoas, no domingo

A Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Rio Grande do Sul (DNIT/RS), por meio da Unidad...