Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Homenagem às prendas da 1 RT/ MTG - RS

Nesses meus 35 anos como Prenda a minha homenagem à TODAS PRENDAS Queridas da  Primeira Região Tradicionalista, que tiveram sua representatividade junto as Gestões de Prendas Estaduais ou não, pois até mesmo as que não chegaram a conquistar tão importante título, sempre  desempenharam de forma exemplar um trabalho invejável e inesquecível como Prendas Regionais, se tornando exemplo e espelho até hoje as novas gerações de prendas de nossa Região Tradicionalista. Servem de inspiração pra muita gente sempre vcs TODAS: Lara Cilene, Michele Prado, Daniela Catelan, Cármen Lúcia Müller Avila, Fêrnandinha Carvalho, Adriana Machado Dos Santos, Janaína, Letícia Ayres... sempre lindas, impecáveis como prendas e maravilhosas! Não sei o que dizer o quanto admiro e me orgulho de ter as tido como companheiras nessa caminhada como Prenda da Primeira Região... outras também vieram na memória com igual destaque, mas que não tem facebook mas não ficaram esquecidas como a Silvana Jacques Bellini, a Denise Prendinha Mirim, a Mirelle.... nossa! Desses 35 anos minha memória até que vai bem pra lembrar o nome de todas pelo menos por uma década. Tia Susan... nossa Primeira-Primeira Prenda Chinoca da 1aRT por exemplo...
Quanto as que foram mais longe vou começar citando a minha querida Verinha, 2a Prenda do RS 79/ 80 - hoje Patroa do CTG Tiarayú. Pessoa que me iniciou como prenda! Me ensinou muito e sempre me foi uma direção o meu ponto de referência em meus prendados... Andreia Rosa Da Silva Kurroschi 1a Mirim do RS 1983, Lu Bernardes 2a Prenda do RS 89/90 que quantas noites de frio e estudo, mais as viagens conosco que acabou virando parte da minha família! Simone Lopes 2a Juvenil do RS 89/90 - minha boneca de porcelana, como a gente chamava, sempre linda!!..., Beatriz R. Dias 2a Prenda Juvenil do RS 88/89 e seus pais mais queridos deste Rio grande do Sul,  que por anos nos prepararam e nos encaminharam nos concursados - minha eterna gratidão! Fausa, 1a Juvenil do RS 87/88 e parceira de Prendado Regional quando Prenda Mirim, Mariangela Chamurro 2a Juvenil RS 86/87 e depois parceira de gestão regional quando eu era juvenil, junto com a  Cristiane Gomes 1a Juvenil do RS 91/92 e Kelly Fagundes 2a Mirim do RS 91/92, Vivian Fernandes 2a Prenda do RS, Elis Reghelin 1a Prenda do RS 95/96 e parceira de Prendado Regional Adulto... e  Alessandra Carvalho da Motta, eterna 1a Prenda do RS e que adotou nossa 1aRT como sua segunda casa, hoje colega junto a Comissão Gaúcha de Folclore... e por fim Nathália Rodrigues 3a Prenda so RS, que neste meu retorno tive a oportunidade de conhecer e me cativou muito. Que guria querida!
À todas sempre minha estima, respeito e consideração - não tem como esquecer a importância de todas e como não lembra-las toda vez que chega o Mês de Maio. Daniela Franzen, também. Nossa Prenda Gaiteira a qual guardo até hoje uma revista com a foto sua quando naquela época o Concurso de Prendas do Estado teve seus propósitos ameaçados por um concurso onde se escolheria a "Mais Bela Prenda do RS" promovido na época pelo Grupo RBS e que você soube unir todas as prendas de faixa e ex- prendas e cobrar nossa "valoração". Tenho certeza que muitas pessoas sabem disso, ou talvez alguns nem lembrem, mas são esses registros que guardo com carinho de todas citadas acima que tenho como maior tesouro, pois achava que um diria seria usado para comprovar os feitos e o legado de cada uma delas - e de todas nós juntas.
É neste espírito que desejo as atuais Prendas da 1aRT, o meu e o nosso "Boa Sorte"! E também as todas Prendas queridas das demais Regiões Tradicionalistas, que tive o privilégio de ter contato maior nesse um ano de caminhada e acompanhei de perto, Boa Sorte e Sucesso gurias! Que as prendas vencedoras desempenhem um trabalho tão bonito quanto o das nossas Prendas atuais e tão forte e verdadeiro como as das prendas de antigamente. Que cada vez mais nossas prendas olhem la trás para esses exemplos maravilhosos de Prendas de Primeira, e se espelhem nelas também - afinal uma vez prenda, sempre prenda! E TODAS sempre serão Tradicionalistas e não precisam de certificação pra dizer quem são e de onde vieram (vocês é que tem que buscar saber mais a histórias delas e fazer a ponte para as próximas gestões!) Aprendam e ensinem as próximas gerações que um n° numa faixa com 3a, 2a, ou 1a é indiferente. Todas estão em níveis iguais e tem condições de assumir o trabalho da mesma forma, todas tem tarimba e condições para pegar o microfone, arregaçar as mangas e desempenhar bem o seu papel e mostrar para ao que veio representar e fazer.
Meu maior exemplo é da Prenda Liliana Cardoso que nunca chegou a Prenda da Região nem a Prenda do Estado, mas se destacou e hoje é uma pessoa respeitada e admirada por todos gaúchos e gaúchas de verdade. A têm no coração e o nome dela na ponta da língua, todo mundo sabe quem ela é. Mas o mais bonito é  justamente isso, nunca precisou se promover nem tão pouco se vangloriar por nada!! Isso é tão Tradicionalista!... Existe uma grande diferença entre SER TRADICIONALISTA e "ESTAR TRADICIONALISTA". Estar Tradicionalista é auto-promoção.
Independentemente do que cada uma siga, desde que o faça de coração, sempre dará certo pois foi assim como sempre fizemos - e de graça. Nunca cobramos nada, nem mesmo que nos colocassem num pedestal e nos eternizassem e nos lembrasse pro resto da vida!
Quantas "indiadas" gurias pra contar! Quantas caronas pegamos pra poder estar nos lugares?? E um caminhão gigante, pra levar nossas incontáveis faixas e troféus que registraram uma fase, "um momento lindo que vivemos em nossa vida".
Desculpem o textão, mas não custa nada sempre lembrar no último minuto do segundo tempo, que ser Prenda não é uma profissão.  Ser Tradicionalista e ser Gaúcho nunca será profissão - sempre será um estado de espírito! De amor, de entrega e paixão ao Tradicionalismo. Um pouco mais de união. Um pouco menos de mesquinharias e picuinhas.... Todo mundo tem o livre arbítrio e se escolhemos trabalhar em prol do Tradicionalismo devemos aprender a olhar de igual uns com os outros e deixar de querer sempre se promover as custas dos outros, difamando os outros, ou boicotando os outros, pois isso não pertence a esse meio. Nem tudo é status... E enriquecimento indevido com nossa Tradição, e a promoção através da nossa Tradição, sempre estará indo de contra as usos e costumes de nossa cultura gaúcha e o objetivo que a 70 anos atrás Paixão Cortês deu início a tudo isso.
Quem ainda tiver dúvidas entre o que é certo ou errado pergunte a ele enquanto podem e ele esta vivo. Qual era o objetivo dele quando fez tudo isso pra nós e depois reflitam, o que fizemos por isso, para engrandecer... E, onde alguns ciclos foram se perdendo, aonde se perdeu esses valores e quem foram os nomes que levaram a isso?
Beijo grande á todas (os).
Com carinho, minha carta aberta em Homenagem à todas as Prendas de Primeira desses 70 anos.
Por : Tanise Ramos Feliciani

Um comentário:

Autorizado a construção de Galpão de Eventos na Área Campeira

Nesta manhã, a diretoria da AETC, Associação das Entidades Tradicionalistas de Canoas através do seu Presidente Gilso Alves...