Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Raça japonesa veio para ficar no Brasil

Dentre as raças bovinas presentes na 40ª Expointer 2017,  uma vem despertando a curiosidade dos visitantes da feira, em especialmente aqueles que apreciam um bom churrasco. A raça Wagyu, originaria do Japão, destaca-se na gastronomia internacional, como sendo uma carne extremamente macia. Segundo os criadores, isso acontece por ser uma carne com alto nível de marmoreio, ou seja, com gordura intramuscular.
Para a pecuarista Ivone Schroeder, criadora de Wagyu e associada do Sicredi no município de Alegrete, no Rio Grande do Sul, a aposta na raça vem do seu potencial e que ainda tem muito a ser explorado.
À frente da Agropecuária Doce Vida, Ivone está presente na 40ª edição da Expointer, também com ovinos Ille de France, e lembra que, especialmente na Raça Wagyu, há poucos produtores no Brasil. “Existem em todo o Brasil apenas 50 criadores vinculados a associação da raça”, salienta.
A produtora rural é considerada uma empreendedora arrojada, pois trabalha há pouco mais de 6 anos com o gado Wagyu, e está presente na Expointer pela terceira vez, tendo sido premiada em todas as suas participações. Neste ano, Ivone trouxe para a Expointer 10 bovinos da raça Wagyu e 8 ovinos Ile de France, a prêmio e a venda.
Quando questionada sobre esses 6 anos de empreendimento rural, a pecuarista fala que vem aprendendo muito e está feliz com os resultados obtidos com seu trabalho. “Especialmente nesses últimos dois anos, a performance da produção cresceu e se aprimorou”, comemora Ivone.
Todo o investimento feito em ambas as raças deixa Ivone com a certeza de que os projetos estão sendo gradativamente realizados. “Vocês ainda ouvirão falar muito na Agropecuária Doce Vida”, garante.
A estratégia da propriedade é crescer mostrando ao mercado que a Raça Wagyu é uma boa opção para diversificar a oferta de carnes diferenciadas aos consumidores. E a próxima etapa será um leilão que está sendo organizado para acontecer em abril de 2018. “A viabilidade deste projeto, vai ser possível com o apoio e parceira do Sicredi que irá disponibilizar crédito para que outros produtores adquiram exemplares da Raça Wagyu e, assim, se integrarem conosco na produção deste animal tão diferenciado. Além de nos ajudar no investimento da continuamente do aprimoramento genético”, ressalta Ivone.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil

Novembro também DOURADO, com a luta incansável para combater o Câncer Infantil. Foi difundida está data 23 de novembro para chamar maior a...