Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Kenny Braga é demitido da Rádio Gaúcha após briga com Paulo Santana

Colunista do Dário Gaúcho e comentarista da Rádio Gaúcha, Kenny Braga, 70 anos, foi demitido nesta tarde. Na abertura do programa radiofônico Sala de Redação, em torno de 13 horas, Kenny e Paulo Santana, de 75 anos, trocaram ofensas pessoais. A confusão começou com Santana ofendendo a mãe de Kenny, que respondeu com um palavrão sobre a mãe de Santana.
Os dois trabalham há mais de 35 anos no Sala, Kenny enfatizando sua preferência pelo Inter, enquanto Paulo torce pelo Grêmio. Santana tem histórico de discussões acaloradas com os colegas de bancada, e já chegou a trocar socos, como aconteceu numa discussão com o jornalista Ibsen  Pinheiro, na década de 1980. Na Copa da França, quando Ruy Carlos Ostermann comandava o programa, direto de Paris, os dois discutiram fortemente, sendo necessário interromper o programa e chamar atendimento médico para que os dois se acalmassem.


Grupo RBS esclarece desligamento :


Em razão de o jornalista Kenny Braga ter utilizado expressão de baixo calão para ofender um dos participantes do programa Sala de Redação, durante a edição desta segunda-feira, o Grupo RBS decidiu desligá-lo de suas atividades profissionais tanto na Rádio Gaúcha quanto no Diário Gaúcho. Por sua vez, o jornalista Paulo Sant’Anna, que se manifestou de forma inadequada na ocasião, foi afastado do programa por prazo indeterminado.

O Grupo RBS lamenta o episódio, pede desculpas ao público, aos anunciantes e aos seus profissionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Senado devolve mandato a Aécio Neves

O Senado determinou o retorno de Aécio Neves (PSDB-MG) às suas funções de parlamentar. Por 44 votos a 26, a Casa derrubou decisão do Supr...