Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

"Ensinando sobre o holocausto na escola"

O livro "Ensinando sobre o holocausto na escola" apresenta uma abordagem conceitual e histórica sobre tema, com foco no ensino sobre os direitos humanos e o respeito às diferenças. A obra foi criada para os professores de História dos ensinos fundamental e médio que desejam trabalhar o assunto em sala de aula. O lançamento e a sessão de autógrafos ocorrem durante a Feira do Livro de Porto Alegre, dia 11/11, às 19h.
O objetivo principal da obra é apresentar informações históricas e atividades para fomentar uma postura crítica dos alunos em relação aos fatores que culminaram no Holocausto. Ao longo do texto, os autores indicam diversas atividades didáticas, sugestões de filmes, dicas de pesquisa e bibliografia a fim de auxiliar no trabalho do professor. A obra também ressalta a atemporalidade do tema, relacionando-o com problemas da sociedade atual como o preconceito, racismo e desrespeito à diferença. Nilton Mullet Pereira e Ilton Gitz, autores do livro e professores, reforçam: "Este livro, ao permitir o desenvolvimento de uma postura crítica em relação aos fatores que levaram ao Holocausto, instrumentaliza o professor para o importante e sempre atual debate, junto aos alunos, relativo ao respeito dos direitos humanos."
O holocausto define a perseguição e morte de cerca de seis milhões de judeus pelo governo nazista alemão. O nazismo chegou ao poder em 1933 no país e foi derrubado em 1945. A Lei nº 10.965, de 18 de outubro de 2010, tornou o ensino do holocausto obrigatório nas escolas municipais de Porto Alegre.
"Vivemos em um país que tem sérios problemas de violações dos direitos humanos. Este livro, com certeza, contribuirá para que tenhamos, no futuro, mais cidadãos e cidadãs.", afirma Marcos Rolim, jornalista, sociólogo e consultor na área de segurança pública. O livro foi publicado sob a chancela da UNESCO.
Fonte: Camejo Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Edição histórica de 45 anos do Festival começa hoje

A partir das 17h, a edição histórica do 45º Festival de Cinema de Gramado estará oficialmente aberta. A cerimônia de abertura acontece na...