Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Departamento de bem-estar animal do MTG/RS

O Movimento Tradicionalista Gaúcho do Rio Grande do Sul iniciou, por meio da vice-presidência campeira, as tratativas para criação do Departamento de Bem-estar Animal.
Segundo o vice-presidente titular da pasta, Adriano Pacheco, a iniciativa tem por objetivo criar uma estrutura qualificada de atendimento às entidades tradicionalistas que são realizadoras de eventos campeiros e também sistematizar o processo de orientação quanto à saúde não apenas de cavalos, mas também de bovinos.
Essa preocupação iniciou ainda no ano passado, na gestão do ex-vice presidente Campeiro Vanderlei da Rosa.
Para auxiliar no processo de implantação do Departamento, Pacheco convidou o médico veterinário Henrique Noronha, que tem mais de dez anos de experiência, especialmente por meio da ABCCC – Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos.
Para Noronha, bem-estar animal é uma ciência, fundamentada em pesquisa, e que traz para a sociedade como um todo a garantia de que, nos eventos tradicionalistas, os animais estão sendo bem tratados.
Segundo Adriano, uma das primeiras etapas para implantação do Departamento é realizar um amplo diálogo com as regiões tradicionalistas, formatando um panorama preliminar sobre a estrutura e condições do bem-estar animal no Rio Grande do Sul. Segundo Noronha, no Estado já se avançou bastante na área, com parâmetros e critérios bastante claros, porém é possível avançar ainda mais.
“É importante trazermos esse assunto às discussões.
O bem-estar animal é um clamor da sociedade”, analisa Noronha.
Segundo ele, demonstrar que o MTG trata o assunto com responsabilidade é uma forma, também, de proteger os eventos tradicionalistas.
Um dos trabalhos será criar regramentos, bem como acompanhar e auxiliar na sua aplicação.
“O nosso ponto de partida será sempre a qualidade de vida e segurança dos animais, honrando nossa história e tradição”, afirma Noronha.
Segundo ele, foi um motivo de alegria muito grande receber o convite para auxiliar na criação do Departamento.
O trabalho do veterinário é voluntário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Drive Thru da Agricultura Familiar é sucesso

A Expointer Digital 2020 começou com o pé direito.  No pavilhão da agricultura familiar, coordenado pela FETAG-RS e pela Secretaria da Agric...