Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Enfrentando o Caos da Emoção


Esse título faz parte de um capítulo do livro 12 semanas para mudar de vida, do psiquiatra e autor Augusto Cury. Nele, é possível fazer uma viagem ao passado do homem mais importante que já ouvimos falar, Jesus Cristo. Através da história que ouvimos desde a infância, Augusto nos faz pensar no equilíbrio emocional que o filho de Deus necessitou nos piores momentos de sua existência, justamente quando ela estava findando.

Antes da crucificação Jesus se preparou para enfrentar o caos de maneira diferente dos demais que, até então, haviam passado por aqueles momentos de total imersão na mais profunda agonia do seu ser. Teria de amar em vez de odiar, de perdoar em vez de condenar, de manter a serenidade em vez de ser controlado por tensão.

Como ele começou a se preparar? Ele entrou no anfiteatro dos seus pensamentos e no território da sua emoção e começou a gerenciar suas emoções. Reviu todas as possibilidades da sua dor. Seu pensamento acelerou-se, sua emoção deprimiu-se. Para a surpresa dos discípulos que o achavam imbatível, ele disse que sua alma estava profundamente angustiada até à morte. Seus discípulos se apavoraram ao ver o mestre com sintomas psicossomáticos, sintomas esses que só ocorrem no máximo de tensão e estresse. Bem, apesar de filho de Deus ele era humano.

O assunto do livro é a ousadia de resgatar a liderança do “eu” no limite da ansiedade e angústia. É admirável, apesar de tudo, Jesus jamais perdeu o controle de si. No momento em que sua mente havia se tornado um palco de terror, ele elevou seu pensamento e levantou-se, não entregou-se ao desespero. Declarou que não queria ser escravo da sua emoção, prisioneiro de seus pensamentos e, assim enfrentou com maestria sua angústia depressiva e ansiedade sobre tudo de mal que estava acontecendo e por acontecer. Sua emoção tranquilizou-se e sua capacidade de pensar voltou a ser livre.

Pensando nessa história, questione-se: a) a emoção é desencadeada pelos pensamentos, você atua quando percebe que a irritação, a agressividade e o medo são disparados, ou fica remoendo seus pensamentos e emoções? b) O mestre dos mestres não era escravo das circunstâncias. Ele era capaz de convidar as pessoas para beber de sua qualidade de vida. Você é capaz de convidar quem ama a beber de sua tranquilidade e alegria? Você sofre por pequenas coisas? Tem proteção ou defesa emocional?
CURY, Augusto. 12 Semanas para mudar uma vida. 3. ed. São Paulo: Planeta, 2015.


 Por : MARIANITA ORTAÇA | PSICÓLOGA - CRP 07/19795


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Morre o criador da Camisa Canarinho

O Criador da camiseta amarela da seleção brasileira, Aldyr   Garcia Schlee, de 83 anos, faleceu na noite de ontem , em Pelotas.O também ...