Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Dante Ramon Ledesma , recebe o título de Cidadão Canoense

Com mais de trinta anos de carreira, o músico Dante Ramon Ledesma foi agraciado, com o título de Cidadão Canoense por sua contribuição à música nativista do Estado e por sua relação com o município. A homenagem, proposta pelo vereador Pedro Bueno (PT), ocorreu em Grande Expediente durante a sessão ordinária do dia 19 e contou com a presença de familiares e amigos do homenageado.
Considerado um dos maiores músicos latino-americanos, Ledesma nasceu da pequena cidade de Rio Cuarto, entre as províncias de Córdoba e La Pampa, na Argentina. Formou-se em Sociologia pela Universidade de Córdoba, antes de ser perseguido politicamente durante a ditadura por ser integrante da ONG Carismáticos, de origem católica, considerada subversiva por ajudar os carentes e ter forte participação social e religiosa nas comunidades. Chegou ao Brasil, em 1976, e retornou ao seu país de origem, onde permaneceu por mais dois anos. Em 1978, passou a viver definitivamente em Canoas. Morou algum tempo no bairro Niterói e, depois, transferiu-se para o Rio Branco, onde vive até hoje.
Na chegada ao Brasil, vendeu livros e fez palestras para pais e mestres até conseguir retomar o sonho de voltar a cantar. Em 1983, atingiu o sucesso com a música Orelhano. Participou pela primeira vez, em 1984, da Tertúlia de Santa Maria, sendo considerado a grande revelação do festival. No mesmo ano venceu a 14ª Califórnia da Canção, de Uruguaiana, com a música O Grito dos Livres.
O músico é casado com Norma Beatriz Ledesma, com quem teve o filho, Maximiliano Ledesma, hoje seu parceiro e ritmista. “Como poucos, fez realmente de seu canto uma maneira de viver e cantar a vida. Gaúchos, argentinos, brasileiros, latino-americanos cresceram ao som de Orelhano, Negro da Gaita, O Grito dos Livres, A vitória do trigo e tantas canções que ultrapassam os sotaques, os idiomas, os ritmos e as fronteiras”, destacou Pedro Bueno.
Sua carreira artística soma 19 discos gravados, entre LPs (vinil) e CDs e três DVDs, com mais de sete mil espetáculos em todo o Brasil e América Latina, grande parte realizada de forma beneficente. Recebeu nove discos de ouro e alcançou a marca de mais de três milhões e meio de cópias vendidas. “Dante é um homem que luta por liberdade, sonho e esperança. É uma honra para a nossa cidade, esse é um reconhecimento por toda a contribuição à música nativista do nosso Estado. Seu espírito revolucionário ultrapassou barreiras, inclusive as da censura”, enfatizou Bueno, em seu pronunciamento.
Em seu discurso de agradecimento, Ledesma recordou o período de terror vivido durante a ditadura argentina e de pessoas que o ajudaram no começo da vida no Brasil. Destacou a importância da família e comentou a recuperação de um AVC sofrido há dois anos. “O maior milagre da vida é o amor e fraternidade que Deus nos dá”, declarou. Sobre o atual momento político, Ledesma defendeu a necessidade de proteger a democracia brasileira. “Em primeiro lugar deve vir a Pátria e, somente depois, os interesses políticos”, ponderou. O músico dedicou o reconhecimento recebido da Câmara à memória do pai Rudecindo Ledesma.
O presidente da Câmara, Paulo Ritter (PT), finalizou a sessão dizendo que o momento era de gratidão por parte dos vereadores. “Esse é um reconhecimento a um homem que sempre lutou pela liberdade”, disse. Estiveram presentes, a esposa do homenageado, Norma Beatriz Ledesma; o filho Maximiliano Ledesma; o neto Juan Pablo Ledesma; o representante da Secretaria Municipal de Cultura, Claudio Kinerin; o presidente do Canoas Tênis Clube, Gercino Santos; o vereador de Quaraí Cláudio Bueno;  e o jornalista Antônio Ximenes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Miss Brasil 2017 vítima de Racismo

No sábado, a estudante Monalysa Alcântara foi consagrada a Miss Brasil 2017, sendo a representante do país no Miss Universo, que ainda ...