Juramento do Jornalista

Juro exercer a função de jornalista assumindo o compromisso com a verdade e a informação. Atuarei dentro dos princípios universais de justiça e democracia, garantindo principalmente o direito do cidadão à informação. Buscarei o aprimoramento das relações humanas e sociais,através da crítica e análise da sociedade,visando um futuro mais digno e mais justo para todos os cidadãos brasileiros.

Troca de ministros

Para o segundo mandato de Dilma, acredita-se que pelo menos metade dos ministros seja renovada. A presidente planeja retomar a estratégia de escalar ministros com maior peso político, escoltados por secretários-executivos técnicos na retaguarda.

Veja quem são os mais cotados :

Aloizio Mercadante (PT)
Ministro da Casa Civil, licenciou-se para atuar na campanha no segundo turno. Nome de confiança da presidente Dilma, é especulado na Fazenda e no Planejamento. Pode seguir na Casa Civil.

Juca Ferreira (PT)
Secretário municipal de Cultura de São Paulo, o sociólogo tem força para voltar ao Ministério da Cultura, que já ocupou no governo Lula. Auxiliou a redigir o programa de governo de Dilma.

Kátia Abreu (PMDB)
Presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), a senadora reeleita postula o Ministério da Agricultura. Seria uma recompensa pelo empenho na campanha de Dilma.

Ricardo Berzoini (PT)
Ministro das Relações Institucionais, abriu mão de disputar a reeleição como deputado em São Paulo, que era viável, e permaneceu no governo. Deve ser recompensado.

Jaques Wagner (PT)
Amigo e um dos conselheiros de Dilma, o governador baiano, que elegeu seu sucessor, está no final do mandato. Foi ministro do Trabalho e das Relações Institucionais no
governo Lula.

José Eduardo Cardozo (PT)
Ministro da Justiça, abriu mão de concorrer a deputado federal. Pode ser indicado para o STF na vaga de Joaquim Barbosa, porém, gostaria de permanecer no governo Dilma.

Cid Gomes (PROS)
Governador do Ceará, deixou o PSB quando o partido rompeu com o governo Dilma. Cotado para Integração, Saúde ou Educação. Outro nome especulado é de seu irmão, Ciro Gomes.

Miguel Rossetto (PT)
Tem a confiança de Dilma. Afastou- se do Desenvolvimento Agrário para ser um dos coordenadores da campanha. Cotado para Secretaria-Geral, pode assumir uma pasta maior importância.

Aldo Rebelo (PCdoB)
Ministro do Esporte, também abriu mão de disputar a eleição a deputado federal. O sucesso da organização da Copa e a proximidade da Olimpíada de 2016 fortalecem sua permanência.

Gilberto Kassab (PSD)
Derrotado na eleição ao Senado, o ex-prefeito de São Paulo assegura lealdade do PSD ao governo de Dilma com sua entrada na Esplanada. Hoje, a sigla comanda a pasta da Micro e Pequena Empresa.

Gilson Dipp
Gaúcho de Passo Fundo, o jurista é cotado para ser ministro da Justiça. Em 25 de setembro deste ano aposentou-se como ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ministros com futuro incerto
Ideli Salvatti (Direitos Humanos), Izabella Teixeira (Meio Ambiente), Tereza Campello (Desenvolvimento Social), Miriam Belchior (Planejamento) e Paulo Bernardo (Comunicações).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gravatai vai solicitar apoio da Força Nacional de Segurança

O prefeito de Gravataí, Marco Alba (PMDB), vai solicitar, a presença da Força Nacional de Segurança na cidade. A decisão do prefeito leva...